a experiência humana só terá sentido se algo para lá do humano vier em nossa ajuda, em nosso socorro. o nosso drama é que a única coisa que desse género ou natureza parece poder vir é a morte, a nossa própria morte.

12 de maio de 2007

Maio

Há na cobardia uma coragem. No gesto desistente, uma persistência ainda assim no gesto, mesmo que desistente. Ele ficou quando partiu e foi-se, naquele momento em que decidiu ficar. Tudo isto é, tanto na solidão como na companhia.

3 comentários:

  1. Logo agora que postei sobre o Amor... de novo.

    Sempre o Ridículo, a Divina Comédia de nos sabermos seres humnos e dependentes desse tão nobre sentimento.

    Penso que a mesma pessoa que inventou Deus inventou o Amor... eu? Ateia por convicção, não por princípio.

    Beijos, J.

    ResponderEliminar
  2. Gosto de vir espreitar o teu blog. Quanto ao ser ridiculo, tudo é relativo. :) De vez em quando somos uns tolos...

    ResponderEliminar

Arquivo do blogue