a experiência humana só terá sentido se algo para lá do humano vier em nossa ajuda, em nosso socorro. o nosso drama é que a única coisa que desse género ou natureza parece poder vir é a morte, a nossa própria morte.

12 de julho de 2005

Paragem de Eléctrico

Falaste-me de um amor. Falaste-me de um amor como só existe nos sonhos que fazemos dele. E eu senti-me pequenino. Toda a minha vida tem sido isso, não conseguir amar.

ººººººººººººº


Tenho medo. Medo-Medo. Agora compreendes que onde pareço que sou doce, meigo, terno, respeito, não passo de um homem assustado.


ººººººººººººº


Ontem detive-me particularmente numa foto com 23 anos. Era eu na minha solidão desacompanhada, na minha alegria, no meu nervo agitado. Sentado na amurada da fortaleza de Sagres, tinha um riso como só conheço aos homens bonitos.


ººººººººººººº


Estou sentado na paragem de eléctrico onde te encontrei. Faço de tudo isto uma viagem.

2 comentários:

  1. Sempre soube. O coração é um enorme cemitério.

    ResponderEliminar
  2. JPN
    Por falar em voyeurismo e na partilha da beleza.
    Obrigada.

    ResponderEliminar

Arquivo do blogue